César Augusto Tulio Tucci

 

amigo01

O Caboclo e o Mar

Quando o homem do sertão
Deita as vistas sobre o mar
As marés do coração
Se derramam pelo olhar
E os olhos de lua cheia
Atraídos pela mar
Se espalham pela areia
Deixam a vida descansar

Pra lembrar seu grande amor
Que nasceu à beira-mar
E que um dia navegou
Para os braços de outro mar
Desde então ficou sabendo
Quanto mede a imensidão
A saudade é um oceano
Que inunda o coração

Ái, saudade imensa
Êi, amor sem fim
Quando chove fica mais doendo
Mas se chora, chora agradecendo
Ter vivido um amor assim.

César Augusto Tulio Tucci